Explosão em navio plataforma da Petrobrás deixa 3 mortos e 6 feridos

Uma explosão em um navio-plataforma deixou três mortos e dez feridos nesta quarta-feira (11) no litoral Norte do Espírito Santo, segundo a Agência Nacional de Petróleo (ANP).

Nota divulgada pela agência informa que a explosão ocorreu às 12h50 e que foi comunicada 1 hora depois. Segundo a ANP,  33 pessoas foram desembarcadas e outras 31 permanecem a bordo, dentre as quais seis estão desaparecidas. A plataforma está estável e não houve vazamento, afirma a ANP.

O navio-plataforma é operado pela BW Offshore e afretado para a Petrobras, que confirmou o número de vítimas e informou que havia 74 pessoas embarcadas no total. “A unidade opera, desde junho de 2009, no pós-sal dos campos de Camarupim e Camarupim Norte, no litoral do Espírito Santo, a cerca de 120 km da costa”, afirma o texto.

Mais cedo, Kristian Flaten, vice-presidente de relações com investidores da BW Offshore – sediada na Noruega – já havia informado sobre mortes, porém não sabia afirmar o número exato.

Flaten disse que a exploração do petróleo feita com o navio vinha sendo executada pela Petrobras. A tripulação da embarcação é mista de brasileiros e estrangeiros, acrescentou. Segundo Flaten, a BW irá divulgar um comunicado ainda nesta quarta-feira com maiores detalhes sobre o caso.

Vice-presidente de projetos da empresa no Brasil, Benito Ciriza lamentou o acidente e disse ao G1 que, no momento, a BW Offshore está dando assistência às vítimas e auxiliando no resgate. Segundo ele, ainda não há informações oficiais sobre o ocorrido.

De acordo com o coordenador do Sindipetroleiros do Espírito Santo, Paulo Rony, houve uma explosão no navio, que é afretado (contratado) e tem tripulação terceirizada. O acidente teria ocorrido por volta das 12h e, segundo Rony, deixou três mortos, seis desaparecidos e, até o momento, quatro feridos.

O sindicato dos petroleiros informou que a explosão na plataforma pode ter ocorrido na casa de bombas, mas também pode ter sido durante a transferência de gás condensado.

Resgate
O sindicato afirmou que 32 pessoas que estavam na plataforma, que fica a 60 km da costa, no litoral de Aracruz, conseguiram desembarcar, sendo transportadas por um baleeiro (um tipo de barco).

Até as 17h desta quarta-feira (11), dez pacientes haviam sido transferidos para hospitais, sendo duas vítimas de queimaduras graves e oito vítimas de trauma, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). O Corpo de Bombeiros Militar do Espírito Santo apoia o socorro.

Ao ser informado sobre o ocorrido, o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, entrou em contato com a direção da Petrobras e colocou o estado à disposição para o socorro e atendimento às vítimas. O governo estadual ainda ofereceu ambulâncias e suporte à logística da operação.

Segundo a assessoria de imprensa do governo estadual, a Petrobras aguarda a finalização do resgate das vítimas para falar sobre o número de feridos no acidente.

A Infraero, empresa que administra os aeroportos, informou que os feridos foram socorridos de helicóptero e levados para o Aeroporto de Vitória. O local está operando normalmente, mas às 13h50 houve acionamento do plano de contingências, um procedimento feito quando há qualquer tipo de emergência.

Nove ambulâncias com vítimas saíram do aeroporto e foram para o Vitória Apart Hospital e o Hospital Metropolitano, na Serra, Grande Vitória. Os veículos foram escoltados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), para garantir rapidez no trânsito.

Investigações
A Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos do Espírito Santo (CPES), informou que tomou conhecimento da explosão na plataforma e encaminhou um navio e duas aeronaves para a área, “com a prioridade inicial de realizar a evacuação de pessoal e remover as vítimas para os hospitais da Grande Vitória”.

A CPES diz ainda que será aberto um Inquérito Administrativo sobre Acidentes e Fatos da Navegação (IAFN), para esclarecer as causas e responsabilidades pelo ocorrido na plataforma. “O prazo para a conclusão do inquérito é de 90 dias”, diz a nota.

Plataforma
O navio-plataforma FPSO Cidade de São Mateus foi o primeiro para gás instalado no Brasil e tem capacidade para processar 10 milhões de metros cúbicos de gás e 35 mil barris de óleo por dia.

A plataforma é operada pela BW Offshore. A empresa informa em seu site que a FPSO Cidade de São Mateus tem capacidade de produção de 25 mil barris por dia. O contrato entrou em vigor em 2009 e tem duração até 2018.

(G1)

Anúncios

Obrigado por participar!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s